Notícias

Notícias

Exportações de ovos crescem no país e recuam no RS; entenda a razão

24/03/2021

Há duas partes a serem consideradas na composição dos resultados das exportações de ovos no primeiro bimestre deste ano. No país, o crescimento, tanto em quantidade quanto em receita, foi de três dígitos.

E sinaliza a retomada do mercado externo, que perdeu espaço em 2020 para a demanda interna. O volume embarcado pelo Brasil, 1,27 mil toneladas, representa 150,6% a mais do que nos dois primeiros meses de 2020. E os US$ 4,13 milhões em faturamento, 152,8% a mais.

Esse regate de espaço do mercado externo é visto como uma ferramenta importante para ajudar a dar fôlego diante do aumento nas despesas.

— O saldo das vendas incrementa as divisas geradas pelo setor em um momento especialmente importante para o setor de ovos, com os fortes custos produtivos — pontua Ricardo Santin, presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Após duas safras consecutivas de perdas no milho, importante insumo da ração animal, a ampliação das despesas é ainda mais acentuada no Rio Grande do Sul. O cenário tem levado as empresas de proteína animal a calibrar a produção. E essa pode ser uma das explicações para o Estado ter andado na contramão do resultado do país nas exportações de ovos. Houve recuo de 38% em volume e de 29% em receita.

— O Estado tem um único exportador (de ovos) que vem adequando a produção. Além disso, o Mato Grosso ampliou a fatia da produção de ovos destinada ao mercado externo — observa José Eduardo dos Santos, presidente-executivo da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav).

Fonte: Zero Hora
Créditos da Imagem: Carlos Macedo / Agência RBS

Voltar